Editorial Covid-19

Em 01 de janeiro de 2020, acordamos com as esperanças renovadas de novo ano. Como todo início de ano, escrevemos nossos planos e sonhos para aquele novo início de ciclo. O início de uma formação Técnica, para realizar um sonho e ao mesmo tempo ter maior possibilidade de ingressar no mercado de trabalho. A conclusão da Faculdade, finalmente a entrega daquele TCC, nunca havia valido tanto a pena. Alguns procuram especializar-se em uma Pós-graduação. Entretanto, na vida não vivemos só de sonhos. Lutamos para conquistá-los e a realização destes começa durante este percurso e não na linha de chegada.

Em março, a pandemia do COVID-19 chegou até nosso país, ao nosso estado, cidade e bairro. Os sonhos desenhados naquele início de janeiro pareciam incertos. Fomos determinados a seguir um isolamento social, a fim de prevenir e conter a propagação deste vírus. Quero que você saiba, nós te entendemos! Fomos todos pegos de surpresa, por um problema que não é só nosso, mas do mundo inteiro. Em conversa com uma professora, ela me relatou uma situação muito peculiar que ela viveu com um aluno. Ele visivelmente nervoso, lhe falava sobre as dores e aflições do momento e ânsia por respostas, lhe questionava sobretudo. Ela o deixou desabafar e quando houve uma pausa, perguntou:

– Você já viveu uma pandemia?
– Enrubescido, respondeu: Não.
– Então, eu também nunca vivi. Olha que sou mais velha que você. – risos – Sinto-me até constrangida neste momento, por você ter a minha figura como porto seguro e vir em busca de respostas que eu infelizmente não posso te dar. Não porque não quero, mas por não saber quais são as respostas. Pois esta situação é tão inédita para mim quanto para você.”

O aluno então se aquietou.
Vivemos uma situação inédita. Inédita para os profissionais das mais diversas áreas, para as mais variadas empresas, para todos
os governos e para o mundo. Sem exceções, todos foram, são e serão afetados em alguma escala. Nesse momento histórico,
onde não há resposta certa ou resposta errada para nenhum dos questionamentos que são feitos. Apenas a História, no futuro, é que poderá julgar as decisões tomadas hoje. Por isso, fique conosco. Estamos separados fisicamente, mas estamos juntos no
propósito de nos alinharmos e darmos nosso melhor para a formação de todos vocês.

 

Pedro Leão
Depto de Comunicação e Marketing
Grupo Educacional Bezerra de Araújo.

Skip to content